24/04/10

Já há muito tempo que não acordava assim. É o sentimento de perder o meu mundo. É o sentimento de não ter ninguém. É o sentimento de não ser amada. E agora lembrei-me de que acordar assim não é acordar profundamente triste. É acordar profundamente vazia. Como se, como se as palavras fossem todas demasiado pesadas para ser proferidas, ou como se as palavras leves não entrassem dentro de mim. Consigo rir-me, mas não consigo chorar. Aliás, o choro vem em períodos curtos e torrenciais, como as chuvas. Depois, o vazio desaparece um bocadinho. Mas volta sempre. Caraças, que volta sempre. Já há muito tempo que não acordava assim.

2 comentários:

Péssima Estreia disse...

o que é que se passa contigo?

anna disse...

ainda bem que gostas, inês.
oh querida, eu sei bem o que é acordar assim. sei bem o cheiro que tem, a vontade de dormir até tudo passar, o calor do sol que nunca é suficiente. mas como (quase) tudo isso vai passar.