30/07/10

Vou te dizer: sinto-me como se me restasse apenas um mês de vida, Agosto. Depois de Agosto é tudo tão incerto e enevoado que eu desconsidero nos meus planos. E tenho tantos projectos para concluir enquanto ainda me conheço, enquanto ainda sou eu, e não eu-adulta, que, como sempre, eles me sufocam e eu acabo por deixar Julho correr e esperar por Agosto. Tenho medo, meu amor, do fim de Agosto.