03/02/11

Quando vivemos escondidos, corremos o risco de nunca nos chegarem a achar.
E de nos perdermos, no meio da espera.

3 comentários:

Francisco Almeida disse...

Exactamente. Ou seja, mais tempo não ajuda. Mais tempo piora, Inês.

Francisco Almeida disse...

Foi em resposta ao teu comentário, mas agora vi que também se aplica ao teu post. E também é em resposta a comentários teus anteriores. A desilusão é cada vez maior porque nada muda, embora a dor possa ser menor. Mas no meu caso, desilusão é dor. Oui? Oui.

Francisco Almeida disse...

"E a única coisa que tens a fazer é decidires parar a bola de neve. Como? Decidindo que já chega de sofrer. Se nada muda, aceita isso." Se nada muda, aceito isso? Isso não é conformar-me? O que dói é eu lutar contra a dor, para manter alguma presença de espírito. O equilírio que eu ando aflito para manter é entre deixar-me levar na dor ou ser estúpido e lutar acima de tudo.