24/06/11

Não dá para fingir surdez a todas as melodias,
não dá para segurar sempre nos dias,
não dá para ficar sempre do lado de cá,
não dá para fugir sempre do que há,
é preciso ir,
fechar os olhos, ir,
perder-me em ti,
sentir que me queres devorar,
não dá para não voar,
não, já não consigo lutar.
Mesmo de olhos fechados,
não dá para não ver o brilhar.

1 comentário:

annie disse...

escreves tão bem.