08/10/11

Ainda não percebeste que estou simultaneamente a esforçar-me por trazer ao pensamento todos os clichés de apaixonado e por afastá-los do coração. Ainda não percebeste que estou simultaneamente aterrorizada e hipnotizada pelo teu sorriso. Ainda não percebeste que te quero tanto quando tenho medo de te querer. Ainda não percebeste que sou tua, irremediavelmente tua, absolutamente tua. E que me sinto como se tivesse caído num buraco armadilhado quer vai resultar numa dor infinitamente maior que todas as que já vivi. Ainda não percebeste que não acredito que possa morrer outra vez sem morrer de vez e que o amor (ainda me) cheira a morte.

4 comentários:

catarina disse...

desde que essa coisa não seja a morte...

Francisquinha disse...

eles não percebem os medos
eles não aceitam o cheiro a morte
eles simplesmente são eles.

Francisquinha disse...

nada que o tempo deixe em vão

annie disse...

escreves tão bem, isto sabe tão bem.