04/08/10

perdido no moleskine:

Podemos ter matado o céu estrelado à noite com poluição luminosa, mas hoje, quando abri a janela, ouvi grilos no silêncio da noite, como se estivessem pertinho de mim, deitada num chão frio e húmido a contar as estrelas vivas ao luar, com a tua mão quente sobre a minha mão fria. Porque tudo nasce em ti e morre em ti e até os grilos são acerca de ti. Porque um dia vamos dormir ao relento no mesmo saco cama e ouvir os grilos e ver estrelas. Prometes?

2 comentários:

inês disse...

ohh, muito obrigada :D
estive a espreitar os teus outros blog's e tem fotografias lindíssimas *.*

sara disse...

:D eles vão ao sudoeste