22/12/10

hoje foi o primeiro dia em cerca de quatrocentos e cinquenta e oito dias em que não falei contigo, e a sensação que tenho é de estar em reabilitação, ou desintoxicação.

O meu organismo sente falta de alguma substância que só a tua presença produzia, a minha cabeça lembra-se de ti periodicamente, e a lembrança provoca alguma reacção automática nos meus canais lacrimais que me faz pensar que agora seria uma boa altura para me dedicar a uma carreira de actriz de filmes dramáticos. Dou por mim a abraçar a minha própria cintura e a querer levantar-me da cadeira e sair à rua para sentir a chuva ou o vento frio e tentar não pensar em ti. Não, não estás sempre na minha cabeça, em empurro-te para baixo de tempos a tempos. Quando assim é, juro, não sinto nada. Mas não sentir nada não é bom. Se eu quero, por um lado, adormecer, também tenho medo de, assim que fechar os olhos, não acordar nunca mais.

Mas sim, está tudo bem.
Eu estou bem.
Eu fico bem.

1 comentário:

Francisco Almeida disse...

... (I know how it feels, but you wouldn't believe me.) Tenta pôr-te estável, por favor. *