19/01/11

Gosto de reconhecimento, gosto de afeição, mas não suporto, de todo, adolação, idolatração. E isso vale em relação a mim (não que eu seja alvo frequente de adolação, mas quando tal está na eminência, tenho um forte impulso de repelir a outra parte) mas também em relação aos outros. Sim, sou pessimista. Mas, bem, idolatrar é precisamente o oposto de amar e certamente que não tem nada a ver com reconhecer.

1 comentário:

Francisco Almeida disse...

Não era para ti, não te preocupes. É um dos poucos posts em que estou a generalizar e não a falar de alguém em concreto. E és boa a interpretar, mas não posso deixar que os meus dias fiquem marcados por coisas assim, que me fazem sentir... Well, sim, eu sei.*