06/03/11

Sobe enquanto és leve
e não te percas nas palavras doces dela,
porque o que é doce pode queimar
como chamas na lareira.
E se te parece que ela seduz como o diabo
é porque ela é o diabo
vestido de nuvens,
ela é o diabo que te prende à terra,
ao fundo de ti,
mais perto do fogo,
porque o que é doce pode queimar.
Vai enquanto és só
e não te prendas ao tempo,
não te agarres às pessoas,
porque as pessoas vão sempre primeiro do que tu.
E não te iludas.
Nenhum coração excepto o teu
bate por ti e morre por ti,
porque é assim que nós somos:
vivemos sozinhos e
morremos sozinhos,
sempre sozinhos,
dentro das paredes do nosso corpo.
Não te iludas,
para um dia não acordares para a desilusão.

1 comentário:

Raquel disse...

ó meu deus que poema ^^
está um máximo, amei