08/09/09

Os invisíveis

Ela avançou mais uns passos a medo. Não podia andar muito depressa porque isso era como se estivesse com pressa e apesar de estar, de facto, com pressa, isso não podia transparecer em algum momento nas suas acções. Tentou iludir-se, acreditando que ninguém repararia o quão ansiosa estava, mas depressa descobriu quão ridículo era esperar que as suas faces coradas, o seu respirar acelerado, os seus olhos humedecidos passassem despercebidos a toda a gente. Porque é que era tão difícil?
Sentiu que todos os olhos estariam em cima dela quando entrasse no corredor. Novidades. Toda a gente gosta de novidades. Ela, naquele lado do mundo, àquela hora, com aquela apresentação, era sem dúvida uma novidade.
Ao abrandar os passos, preparando-se para abrir a porta, pegando na maçaneta, o ritmo cardíaco triplicou. Passou-lhe pela cabeça fugir, desaparecer; desejou ardentemente ser invisível. Mas apenas por um segundo, apenas na fracção de tempo que demorou a percorrer com o olhar a multidão de olhos postos nela, apenas até ao momento em que uns olhos escuros e inexpressivos trespassaram o lugar onde ela se encontrava em pé, como se conseguissem ver até à parede atrás de si. Depois disso, depois de se cruzar com esses olhos, todo o medo se foi como se nunca tivesse chegado a existir, tudo se apagou abruptamente da sua cabeça, agora ocupada apenas com aquele olhar. Nada mais. Nada mais para além dele, dos olhos dele, ocupava a sua cabeça. Nada mais para além da indiferença com que estes a olhavam, sem sequer a ver.

Julho de 2009

2 comentários:

Péssima Estreia disse...

isto faz-me lembrar bueeeeee eu! mesmo mesmo.

Péssima Estreia disse...

"Tentou iludir-se, acreditando que ninguém repararia o quão ansiosa estava, mas depressa descobriu quão ridículo era esperar que as suas faces coradas, o seu respirar acelerado, os seus olhos humedecidos passassem despercebidos a toda a gente."

isto faz-me lembrar eu.

"Passou-lhe pela cabeça fugir, desaparecer; desejou ardentemente ser invisível. Mas apenas por um segundo, apenas na fracção de tempo que demorou a percorrer com o olhar a multidão de olhos postos nela, apenas até ao momento em que uns olhos escuros e inexpressivos trespassaram o lugar onde ela se encontrava em pé, como se conseguissem ver até à parede atrás de si."

isto fez-me lembrar umas coisas 'antigas'.