03/11/09

Perdi-me de mim.

As cores têm andado diferentes.
E o mundo, aquele mundo onde não caminhas,
Anda pobre e insuficiente.
Parece que apenas quando pisas o meu chão,
Quando tenho as minhas mãos na tua mão,
E, ao teu lado, não consigo não sorrir,
É que o mundo tem alguma espécie de encanto.
Tu tornas o ar agradável.
O teu silêncio torna-o difícil de respirar.
Tu anulas o frio, a dor, a dúvida.
A tua ausência faz-me abraçar-me a mim própria,
Na procura de conforto.
E não gosto desta ausência de mim
No controlo dos meus sentimentos.
Tu tomaste-me completamente, dominaste a minha razão,
E agora quem decide se eu tenho frio ou calor,
Quem controla o que é feliz e o que é dor,
És tu, sempre tu: a imagem gravada atrás dos meus olhos;
O pensamento escondido atrás das minhas palavras.
E cada vez mais sei que me perdi.
Perdi-me de mim. Perdi-me em ti.

1 comentário:

Péssima Estreia disse...

isso é tudo muito verdade.