10/11/09

Novelo de palavras presas

Tenho palavras presas na minha boca
Que se manifestam num sentimento estranho:
Uma espécie de novelo de ternura e medo
Que se materializa sempre que penso em ti.
Tenho palavras presas na minha boca
E só contigo as consigo esquecer
(Porque contigo nunca há nada mais do que tu)
Lembrar-me de ti aumenta as palavras,
Que são tantas; mesmo ao meu jeito
De descrever o que não devia ser descrito.
Tenho palavras presas na minha boca
E sentimentos presos no meu coração.
Por isso, vou pondo parte do meu novelo
Nas palavras que dirijo a ti,
Que nunca são tantas nem tão puras
Como as presas na minha boca.

“Cada pedaço de mim gosta de cada pedaço de ti”.
Estas palavras, que são minhas, custam-me saber,
Por terem andando tão presas ultimamente.

10 de Novembro de 2009

1 comentário:

Péssima Estreia disse...

"cada pedaço de mim gosta de cada pedaço de ti"
são os pequenos pedaços que nos fazem gostar ou nao de alguém.