13/12/10

O meu maior medo é acabar como o Fernando Pessoa, que é o mesmo que dizer que o meu maior medo é a solidão. E o que é a solidão? É ninguém se rir das tuas piadas, nem ninguém chorar porque estás triste. É nunca chorares por ninguém a não ser por ti, porque, simplesmente, não há mais ninguém, só tu. Nunca ninguém chorou pelo Fernando Pessoa, porque nunca ninguém chegou a saber que ele era triste. Nem mesmo o Sá-Carneiro. Esse, chorou por ele mesmo, porque também era um homem só.

2 comentários:

Francisco Almeida disse...

E tu sabes como eu também escrevi sobre isto e eu... fico assim, sem nunca saber bem que dizer. Bem. Tens razão, sim.

Luís Pais disse...

"Temos, todos que vivemos,
Uma vida que é vivida
E outra vida que é pensada,
E a única vida que temos
É essa que é dividida
Entre a verdadeira e a errada."

Fernando Pessoa

"Provavelmente onde mais que o teu corpo, a tua mente encontra a paz. Na revolta imunda da própria revolta, já se faz tarde para olhar para trás e vendar ao mundo a pessoa que tu sempre serás. Porque no teu 'eu' existe magia de acreditar em algo e fazer com que acreditemos nisso mesmo. Seguimos o nosso coração e a cada balada surge uma nova inspiração. És tu, sou eu e este animal chamado imaginação..."

Luís Pais

Acredito que enquanto os pensamentos puros mancharem folhas brancas, que o Homem nunca estará sozinho. Embora, aparentemente, se pense que as folhas brancas já por si serão para sempre puras.
[em principais aspectos, não darás a mão à solidão]