01/06/09

Provir

Pelo calor de tantos sóis, nós gritámos
E na sombra de tantas árvores, amámos.
Amámos como quem ama sonhos e paisagens,
Sonhámos como quem sonha palavras e imagens.
E por baixo de tantas chuvas,
Tão lentas e persistentes chuvas,
Fugimos e refugimos,
Fomos e retornámos.
E tantas luas espelharam o sol desde esse dia
E tantas nuvens o tentaram encobrir.
E ainda assim aqui estamos,
Erguidos de tantas cinzas,
Cada uma mais pesada, cada uma mais forte.
Ainda assim aqui estamos
Capazes de sorrir perante a tristeza
E triunfar na derrota.

Porque por cada sol que morre
Nasce um novo no céu.

1 de Junho de 2009

1 comentário:

Rafaela Sousa disse...

ainda só conheço um céu. isso é bom? :\