19/09/09

(Fugir para dentro de mim)

Todas as luzes estão apagadas e eu continuo acordada
A remoer palavras, a esconder-me de mim,
Dos pensamentos que me esforço por conter,
Mas que são uma presença constante.
E tu és um deles.

Sei que caminho para dentro do meu ser,
Cada vez mais para o interior
Pois só dentro de mim estou segura.
O mundo é um lugar cheio de dor
De sonhos quebrados, momentos esgotados
E por mais que eu queira ver a luz,
Sei que um dia se irá apagar.

Por isso tenho medo, muito medo.
Não me quero dar outra vez
Para perder mais um pedaço de mim.
Não, eu não sou tão forte assim.
Não me consigo recompor de uma nova queda
E não quero que me quebres de novo.

Então continuo a caminhar para dentro de mim,
Cada vez mais para o interior,
Até que tu e as tuas palavras me façam querer regressar.
E vou me perdendo mais um pouco
De cada vez que elas me magoam e me fazem
Fugir para dentro de mim.

19 de Setembro de 2009

2 comentários:

Péssima Estreia disse...

oh meu deus! este poema é tudo o que eu sinto! está mesmo mesmo mesmo mesmo mesmo brutaaal!!
obrigada ines, a sério!

Péssima Estreia disse...

insuficiente?